domingo, janeiro 06, 2008

L U A - N O V A

Voltei
a embriagar-me
bebendo
a lua
nesses teus
olhos doces

E não fora
eu tantas vezes
mortal
sedento
de senti-la
Que ora
me vejo

sem pejos
a desafiar
Os seus beijos

Sentindo
mil d
esejos
de n
ela penetrar
e saci
ar
perdid
amente

4 comentários:

Anónimo disse...

http://barreiroxxi.blogspot.com/

kira disse...

e que bem que poemas, mestre! pois está claro: artista completo.
obrigado e um abraço do
kira

Anónimo disse...

senão fores melhor no teatro estás feito

Luciano Barata disse...

Realmente estou mesmo feito. A minha sorte seria ensinares-me alguma coisa...Mas se nem tu consegues fazer melhor!