domingo, setembro 16, 2007

O Meu Mar




Desembarquei aqui
Neste rumor do vai vem
Incerto das ondas.

A minha vida sentou-se
à beira do mar
Com o rosto aberto
e frio no coração.

No leito do teu corpo
Haviam margens a desbravar
E madrugadas
com sede do meu amor.

O teu sonho era a minha praia
a medrar todos os dias
em maré-cheia
onde ficavam restos de ternura
pelo chão
quando o rio sonhava
em desaguar

Descobrir-te
foi um tempo de alegria
com pássaros a nascer
por entre os dedos
a voar na esperança
para te encontrar

Este poema
De espuma e de lendas
levar-me-á
ao romper do teu canto
onde as palavras
têm os pulsos imóveis
com rosas duras nos gestos
e travo a mulheres maduras.

Pela manhã
Partirei
De novo
Nessas ondas
Onde o amor
Serás tu
Certamente!


2 comentários:

António Gama disse...

grande classe. para quando um livro de poemas? já nem precisas de quem faça a capa,grande mestre das artes.
um abraço.
kira

Anónimo disse...

hello minha cara linda!qd menos esperavas ca "apareco" eu para te mandar um beijo cheio de saudades e dar-te os parabens por tao belos poemas...para qd um livro?uma ideia a ponderar...fiquei surpresa qd verifiquei q temos mais algo em comum,os filmes favoritos.sinto falta do teatro,sinto-me cada vez mais estupida numa terra onde predomina a pobreza de espirito ne sensibilidade!beijo